Reduzir horas gastas em processos frequentes ajuda as empresas a conquistarem economia, agilidade, governança e colaboração. Mas, nem todas empresas encaram dessa forma. Albert Einstein estava certo ao dizer que a “falta de tempo é a desculpa daqueles que perdem tempo por falta de métodos”. Apesar de ter revelado que certos conceitos são relativos, o teórico alemão reconhecia a importância de estruturas para ordenar o dia a dia.

O desafio dos especialistas em compras de hoje é parecido com o dos físicos no início do século: colocar as empresas em movimento ao mesmo tempo em que lidam criativamente com o caos e a incerteza do mundo dos negócios. Para instaurar a ordem em um universo corporativo que usa o tempo como moeda, vale a pena investir em tecnologias para auxiliar a gestão do tempo dentro das empresas. Tanto é que hoje se tornou comum ver atacadistas fazendo pedidos, especificando entregas e gerenciando devoluções diretamente do computador, ou ainda, pelo celular.

Otimizar as compras em poucos cliques, era algo até então impensável, por conta da alta complexidade dos trâmites envolvidos. No entanto, a tendência de descentralizar processos tem sido observada em diversas empresas que acertaram seus ponteiros nessa direção e conseguiram, assim, conquistar todos os benefícios mencionados anteriormente: economia, agilidade, governança, colaboração e tempo. Este último, que passa a ser empregado em ações táticas.

A última pesquisa Business Tecnographics® Global Software, da Forrester, analisou, entre outros assuntos, questões de automação via SaaS (Software as a Service) em companhias na Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, França, Índia, Nova Zelândia e Reino Unido. A conclusão foi de que 70% das empresas desejam ter mais agilidade nos negócios com a adoção de uma plataforma eletrônica. Outros 67% das organizações desejam que essa tecnologia ajude seus profissionais a concentrar o potencial em tarefas mais estratégicas.

Além de mais garantias para o contratante e para o contratado, as ferramentas tecnológicas de automação dão às empresas vantagem competitiva. Se antes controlar prazos de compra e entrega variados tornava a previsão de prazos mais difícil, hoje, é possível até definir Acordos de Nível de Serviço (SLA) com metas de lead time, saving e outros indicadores. E, apesar de ser uma obrigação de toda empresa com o requisitante interno, poucas companhias controlam efetivamente seus SLAs.

Ao basear suas soluções nos pilares da economia, agilidade, governança e colaboração, as plataformas de compra contribuem com as companhias na redução de custos, ao controlar processos gerando compliance. Além disso, também melhoram a questão da colaboração, uma vez que a comunicação com fornecedores e os workflows de automação no ambiente eletrônico são facilitados, transformando o comércio entre empresas de uma forma simples, inteligente e sustentável.

Alexandre Moreno, diretor de Serviços do Mercado Eletrônico.

Link: E-Commerce News

Link: Portal Fator Brasil

Link: Portal ERP