Inovação é a palavra da vez nas empresas. Entretanto, muitas ainda sentem dificuldades em praticar novas ideias, principalmente quando elas partem de seus colaboradores. Não tem como mensurar o número de oportunidades de desenvolvimento que as organizações perdem por não saberem ouvir ou dar andamento às ideias daqueles que vivem o dia a dia da companhia.

Pensando neste problema recorrente, na postagem de hoje destacamos 3 insights de estratégias apresentadas pela Fast Company, revista de tecnologia e inovação, para ajudá-lo a desenvolver um ambiente de trabalho que estimule e recompense as ideias criativas de seus colaboradores.

Confira!

 

Criatividade: problema ou solução?

Você já parou para pensar quantas ideias sensacionais são negligenciadas dentro de uma empresa? Mas por quê?

A verdade é que muitas companhias ainda tratam como problema a manifestação de seus colaboradores para palpitar nos processos. E quando isso acontece, uma coisa é certa: nesses ambientes, provavelmente, a inovação não é uma prioridade.

As empresas que estão vivenciando a digitalização e o movimento 4.0 devem enxergar essas ideias como oportunidades de desenvolvimento, aprendizado e otimização. Outro ponto importante é que ouvir os colaboradores e discutir as opiniões faz com que eles se sintam parte do negócio.

Além da falta de abertura, muitas empresas também não possuem um sistema adequado para receber as propostas de seus profissionais. A inexistência de um workflow formalizado para avaliar as ideias dos colaboradores é mais uma barreira para que o desenvolvimento das inovações aconteça.

Confira agora o que algumas empresas estão fazendo para fomentar a criatividade em seus ambientes de trabalho:

 

1 – Implementação de um sistema claro e intuitivo

É fundamental garantir que todos os colaboradores saibam enviar suas ideias para avaliação. As maneiras de envio podem ser variadas, como a criação de uma caixa de sugestões, um canal de comunicação, fóruns para fomentar o assunto e workshops para a construção de projetos.

Não importa o formato escolhido para o caso, o objetivo principal é que o sistema seja intuitivo e acessível, de maneira que todos os colaboradores se sintam à vontade para compartilhar suas ideias.

 

2- Contornando as burocracias da empresa

Você também pode incentivar as ideias criativas, tornando o processo de avaliação mais transparente, divertido e democrático.

A Rite-Solutions, empresa americana de TI, por exemplo, desenvolveu uma forma inteligente de gerar novas ideias e contornar as burocracias de tomadas de decisão. Eles criaram um mercado de investimento, onde as ações são as ideias dos colaboradores. Todos os profissionais recebem uma quantia em moeda digital para apostar nas ideias mais legais de seus colegas.

O intuito deste sistema é fomentar e incentivar ainda mais a colaboração de ideias por parte dos profissionais.

 

3- Corrija os problemas

Quantas empresas lançam um produto com falhas no mercado e vão aprimorando-o com o passar do tempo? Quando inovamos, estamos sujeitos a acertar ou errar.

As companhias que têm visão de futuro aceitam os riscos e a possibilidade de fracasso. Elas adotam metodologias ágeis para conseguir estimular a inovação com equipes de alta performance, que atendem as demandas com velocidade e perfeição. Para isso, é necessário um time com múltiplos perfis e com grande conhecimento sobre os processos.

Toda falha que surge traz consigo uma oportunidade de aprendizado e aprimoramento. Isso não significa que devemos testar qualquer ideia, mas sim que, quando isto acontecer, exista a possibilidade de ter falhas e que essas falhas possam ser ajustadas ao longo do trajeto.

 

E aí, você tem mais alguma dica que não foi abordada nesta postagem? Compartilhe ela com a gente nos comentários!

Aproveite e assine nossa newsletter para ficar por dentro de tudo o que acontece no mercado B2B. 😊