Com a onda de transformação digital e a chegada das tecnologias 4.0 no mercado brasileiro, muitas empresas ficam ameaçadas e fadadas ao fracasso. Mas a solução é bem simples: INOVAR!

Segundo um levantamento realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 31% das empresas brasileiras aceitam esta nova cultura com medo de não acompanhar o mercado no futuro. Um em cada três presidentes já reconhecem o risco de não conseguir suprir a demanda de produção sem o auxílio da inovação. Ou seja, é um caminho sem volta.

 

Os principais fatores que favorecem a inovação nas empresas

A pesquisa mostra que os principais motivos que levam a inovação dentro das empresas são a sustentabilidade do negócio, a conquista do mercado e a competitividade.

A partir destes pontos, surge um movimento nas empresas em busca de iniciativas que agreguem valor aos seus produtos e serviços e tragam saúde aos negócios. Entretanto, a crise financeira que ainda perdura em algumas companhias impede que os CEOs trabalhem com foco em grandes novidades.

Infelizmente, a situação em que algumas empresas estão tem feito com que priorizem gastos básicos, como a manutenção do quadro de colaboradores, deixando de lado a cultura da inovação.

Esta é uma estratégia, mas não é recomendada, pois com o tempo pode tirar a empresa do mercado, deixando a situação ainda pior.

 

O Brasil ainda tem muito a investir

O estudo também mostra que 48% consideram baixos os investimentos que estão acontecendo no cenário brasileiro. Apenas 6% dos entrevistados consideram alto o nível de inovação da indústria.

Esses dados comprovam que, mesmo com a indústria 4.0 estabelecida no país, as empresas ainda estão em processo de estabilização e mudança de mindset para conseguir aproveitar melhor as oportunidades que a inovação pode trazer aos negócios.

A expectativa é que nos próximos cinco anos este cenário evolua e mostre mais resultados.

 

A bola da vez: otimização de processos com redução de custos

Hoje, a inovação no Brasil não acontece muito de forma disruptiva, ela é mais incremental. Ou seja, os executivos estão aos poucos aderindo a esta cultura, porém com o objetivo de otimizar alguns processos que antes eram mecânicos, visando ganhar agilidade e reduzir custos.

Para ser considerada disruptiva, a inovação precisa transformar completamente os processos, o que ainda é pouco visto no mercado brasileiro.

As grandes empresas, interessadas em acompanhar esta fase de inovação, têm acompanhado as startups e estão optando por estabelecer parcerias para a criação de ambientes inovadores.

 

MEI Tools: apoio à inovação

Nos últimos 15 anos foram criadas diversas iniciativas de financiamento à inovação industrial. Entretanto, a abordagem de incentivo acabou sendo prejudicada pelo estado econômico que o país estava.

Para facilitar o acesso das empresas a esses tipos de financiamentos, a MEI (Mobilização Empresarial pela Inovação) criou o MEI Tools, trazendo um levantamento com mais de 80 sistemas de financiamento à inovação.

O próximo passo é fortalecer estes sistemas para que, mesmo em meio à crise, as empresas entendam a importância de investir no futuro do Brasil.

 

E você, como está tratando a inovação na sua empresa? Ainda em nível embrionário, com algumas iniciativas ou já é uma realidade?

Conte para a gente nos comentários e assine a nossa newsletter para ficar por dentro de todas as notícias do mercado B2B! 😊