Resiliência é a palavra-chave para a retomada da cadeia de suprimentos no pós-pandemia

 

A crise mundial que estamos vivendo tem afetado diretamente a economia global. Muitas empresas estão se adaptado ao novo cenário e aderindo a diferentes tipos de práticas para que o core de seus negócios recupere o que foi perdido desde o começo do ano.

Mas uma coisa é fato. Esta retomada acontecerá de maneira menos demorada e sofrida, se a cadeia de suprimentos souber aproveitar as oportunidades que estão surgindo com o aquecimento do mercado.

Por este motivo, resiliência se tornou a palavra-chave no processo.

Ficou interessando em saber mais sobre o assunto? Continue a leitura!

 

Resiliência x Cadeia de Suprimentos

A palavra resiliência vem do latim “Resilire”, que significa “voltar atrás”. No sentido figurado, demonstra a capacidade de quem se adapta às mudanças e infortúnios. Ou, até mesmo, à tendência natural para se recuperar ou superar com facilidade os problemas que aparecem no meio do caminho.

No novo cenário, resiliência se tornou a palavra-chave para dar continuidade às operações das cadeias de suprimentos, uma vez que atuar de maneira e adaptável, em meio a um cenário imprevisível, é o que pode ajudar na retomada dos negócios.

Contemplar no planejamento e mapeamento de crise alguns itens como possíveis problemas na saúde dos colaboradores, estoque extra para prevenir rupturas e problemas de abastecimento, e atrasos de entrega são apenas algumas questões que devem estar em pauta para evitar ainda mais impactos na hora da volta.

A situação atual exigiu inúmeras mudanças na rotina de trabalho e produção. Consequentemente, impactou também o planejamento estratégico de todas as empresas. Isso trouxe um imenso ensinamento: é preciso se adaptar às circunstâncias, desenvolver novas soluções de maneira expressa e ter resiliência para seguir adiante.

 

Saúde dos profissionais como a alma do negócio

Atualmente, a retomada da cadeia de suprimentos está muito relacionada à saúde dos profissionais que trabalham no setor. Nenhuma cadeia de suprimentos consegue operar com excelência sem ter colaboradores saudáveis atuando in loco e outros estrategicamente em home office.

Portanto, é preciso traçar estratégias para cuidar do bem-estar e da segurança de seus trabalhadores, principalmente neste momento. Além de manter toda a operação em funcionamento, você acaba mitigando possíveis riscos que são normais em toda retomada.

Procure fazer análises preditivas, priorizando a solução de possíveis problemas e mitigando os riscos para todos os colaboradores.

A digitalização traz um papel fundamental nessa situação. Ter a visão e o controle de ponta a ponta só é possível por meio do uso de tecnologias como, por exemplo, o e-Procurement do Mercado Eletrônico.

 

Digitalização a favor da resiliência

Como falado anteriormente, no contexto da cadeia de suprimentos, a resiliência está completamente associada à habilidade de mitigar os riscos e minimizar os impactos de eventos imprevisíveis, como é o caso da pandemia de Covid-19.

Segundo um relatório apresentado pelo Fórum Econômico Mundial (WEF), para conseguir ter uma cadeia de suprimentos mais resiliente, é preciso ter em mente três ideias:

  • Conquistar visibilidade da cadeia de suprimentos para entender o impacto que uma interrupção pode causar.
  • Digitalizar os registros para tornar as operações mais resistentes a choques futuros.
  • Garantir a privacidade dos dados e uma comunicação clara com os fornecedores.

Uma das maneiras de conquistar esses três pontos é a implementação de uma plataforma digital. Além de trazer agilidade e estratégia para os processos, a empresa conquista governança com visão do início ao fim da cadeia de suprimentos, além de controle com informações digitalizadas para as tomadas de decisão.

 

Relacionamento também é fundamental para a retomada

No cenário atual, a tecnologia é regra para os negócios, mas o relacionamento é tão importante quanto. As empresas não conseguem se sustentar sem se comunicar e personalizar o atendimento de seus fornecedores.

A maioria das organizações que resistiu ao período de recessão teve como aliado o bom e velho relacionamento.

O ato de estruturar as demandas para se adaptar ao novo normal, sabendo se relacionar com os parceiros de negócios, garante muito mais do que melhores preços e prazos de pagamentos, permite a reserva de produtos e o planejamento em conjunto para suprir problemas de reabastecimento de toda a cadeia. Isso está diretamente ligado à resiliência da cadeia de suprimentos também.

Desta maneira, além de garantir um melhor funcionamento dos negócios, as empresas também cultivam relacionamentos de longo prazo, criando uma relação de “ganha-ganha” entre todas as partes.

 

Toda retomada requer inúmeros cuidados. Como a sua empresa está lidando com a volta da cadeia de suprimentos? Conte para a gente nos comentários!

Aproveite e assine nossa newsletter para ficar por dentro de tudo o que acontece no mercado B2B! 😊