profissional-de-compras-uma-carreira-do-futuro

Mais lucro e crescimento para as empresas. Essa é a missão do comprador profissional, uma carreira que só tende a crescer

O profissional de compras é uma figura cada vez mais importante nas salas de reuniões das empresas. Com cerca de 50 candidatos a lutar por uma vaga, a atividade é uma das que mais cresceu em 2017, de acordo com especialistas da Michael Page.

Deve-se estar a perguntar: o que é que atrai tanta gente para esta profissão? Além de salários médios de cerca 1.330€, de acordo com o site Love Mondays, a área oferece novos desafios e uma variedade de setores de contratação.

Do lado das empresas, o principal motivo pela alta procura por esses profissionais é a necessidade de contratar pessoas que realmente entendam a rotina das compras corporativas, já que o departamento de compras é responsável por 60% dos gastos de toda organização. E cada euro economizado em compras, é um euro a mais de lucro para a empresa.

Outra notícia animadora para quem pensa seguir a carreira é que os executivos de compras de 49% das 111 empresas consultadas pelo levantamento do Conselho Brasileiro dos Executivos de Compras (CBEC) ocupam cargos de vice-presidência ou de direção. O que reforça o facto de que a área, antes vista como suporte de outros departamentos, passou por um upgrade, tornando-se estratégica para as companhias.

Competências do profissional de compras

De formações tão diversas como a administração, economia e engenharia, este profissional costuma especializar-se em cursos virados para Procurement ou Logística e Supply Chain. Mas só uma especialização não basta para ser um bom executivo da área. É preciso ter interesse em economia, direito, política dos mercados de suprimentos em escala global, entre outros assuntos complementares.

A hierarquia do setor de compras numa indústria comporta geralmente os cargos de assistente, analista, comprador (júnior, pleno e sénior) e gestor.

Para se estabelecer como um bom comprador é preciso dominar uma série de ferramentas para conseguir a melhor relação custo/benefício possível. E é por isso que, no dia a dia, a habilidade de fazer acordos, contratos e de traçar as melhores estratégias com fornecedores é essencial.

Em primeiro lugar, é preciso saber desenvolver fontes alternativas de abastecimento e novos parceiros de negócio. Em seguida, devemos lidar com os processos de avaliação e homologação dos fornecedores, mantendo o bom relacionamento com os mesmos, uma vez que precisam de construir uma base de fornecedores confiáveis previamente selecionados.

Seja a comprar suprimentos ou equipamentos para empresas, indústrias ou governos, o especialista em compras deve ainda estar pronto para atender todo o tipo de exigências, assim como entendê-las perfeitamente.

Ao receber uma solicitação de mil computadores de alta performance, um bom comprador é capaz de questionar o pedido a partir da análise da real necessidade da empresa. Ele vai verificar quais são os profissionais que irão usar as peças e se as funções exercidas realmente exigem tais computadores. Funcionários que criam planilhas, por exemplo, não precisarão de máquinas assim.

É aí que entra o poder de análise, requisito cobiçado entre empregadores. No entanto, algumas aptidões só vêm com o tempo de trabalho.

Para chegar ao cargo de gestor, é necessário conhecer o universo das compras corporativas como ninguém e estudar constantemente o mercado, as tendências e a disponibilidade de mercadorias, além de lidar com a responsabilidade de treinar e coordenar o trabalho de subordinados.

Ter um mestrado ou MBA é vital para aumentar as chances de avançar para uma posição na gerência. Algumas escolas oferecem programas para gerir aquisições com imersão no processo de avaliação de necessidades, determinação do valor do ciclo de vida, tomada de decisões de compra e negociação de contratos. Os cursos também podem compreender logística e gestão de canais, leis de compras, contratação governamental e gestão de operações.

Quais são os principais desafios de um profissional de compras?

Apesar das vantagens, a área de compras é uma escolha de carreira extremamente desafiante. Para prosperar nessa área é preciso ter uma forte capacidade analítica para avaliar históricos de compras, procura, sazonalidade de mercadorias e outros fatores do qual depende uma boa compra.

Se por um lado os riscos vão sempre fazer parte da sua rotina, por outro, saber administrá-los e usar as ferramentas corretas é um diferencial para a construção de uma carreira sólida.

Estar atento à conduta de fornecedores também é essencial para um comprador. Afinal, em breve, essa imagem vai ser um reflexo da empresa compradora. Por isso, espera-se que esse profissional construa estratégias para uma gestão eficiente de todos os detalhes importantes para a área de compras.

Não é à toa que os profissionais de maior destaque no setor são aqueles que usam todas as ferramentas disponíveis a seu favor para gerar economia, ganhos operacionais, colaboração com fornecedores e lucro.

Quais são as tendências para crescer na profissão?

As organizações estão a investir em novas tecnologias para enfrentar os desafios do mercado contemporâneo. No entanto, as habilidades necessárias para aproveitar ao máximo essas ferramentas são escassas no mercado de trabalho.

Assim como os profissionais de Tecnologia da Informação (TI), os compradores profissionais precisam de se manter atualizados para pensarem de forma estratégica. Isso requer interação constante com a tecnologia, não apenas para otimizar as práticas de aquisição, mas também para impulsionar negócios.

Atualmente, o profissional de compras que domina a tecnologia está entre os mais procurados pelas empresas. Ao ter noções do universo digital, um comprador consegue reduzir trabalho, tempo, custos e substituir tarefas manuais para se dedicar integralmente ao lado mais estratégico da sua profissão.

As ferramentas atuais ajudam os compradores na sua performance. E ainda garantem mais agilidade, colaboração, economia e governança, tanto para a área de compras, como para a empresa no seu todo.

Por isso, em breve, saber operar num marketplace ou melhorar processos quotidianos num software vai ser um pré-requisito. Nesses ambientes virtuais, o comprador consegue otimizar seu trabalho para encontrar novas fontes de fornecimento, parceiros, além de gerar economia e compliance.

À medida que aumentam as regras de comércio, as exigências ambientais e éticas das organizações, há também uma procura para entender as implicações da responsabilidade corporativa e da sustentabilidade, tanto no processo de compra, como no da cadeia de suprimentos.

Por isso, facilitar os processos de auditoria é mais uma responsabilidade das equipas de compra. Mais uma vez, a tecnologia pode ajudar esses profissionais a rastrear todas as transações realizadas, uma vez que, num ambiente virtual, basta um login e uma senha para receber essas informações.

A tecnologia também auxilia o gestor a crescer na profissão. Sabendo usar um software desenvolvido para o seu departamento, ele consegue gerir a área inteira e ainda terá o controlo de todo o processo de compras, informações da performance da equipa, acesso a relatórios e KPIs – indicadores essenciais para acompanhar e medir o desempenho de todas as ações do departamento.

Por fim, ser um profissional de compras é uma ótima escolha para recém-formados que procuram uma carreira movimentada, com grandes possibilidades de crescimento. Esse é um dos poucos setores que dá aos seus colaboradores a oportunidade de provar o seu valor e assumir o controlo de projetos, do início ao fim.

Por acompanhar com rapidez as mudanças no seu ambiente e por ter a sua complexidade influenciada pelo ritmo da Tecnologia da Informação, a profissão de comprador profissional vai ser uma das mais destacadas no futuro.

Quer saber mais sobre o assunto? Descubra quais são as 20 competências essenciais do comprador.