sustentabilidade-em-compras-tiffany

Já comentamos aqui no blog que sustentabilidade é muito mais que seguir uma cartilha verde. Para uma empresa ser sustentável de verdade, ela precisa ir além da reciclagem, do consumo consciente de água, do plantio de árvores e de práticas para diminuir o uso de copos plásticos.

A ideia de sustentabilidade em compras não leva em consideração apenas as questões simples do dia a dia corporativo, mas, principalmente, as relações de uma empresa com seus funcionários, fornecedores e parceiros.

A marca Tiffany & Co., que trabalha com matérias primas sensíveis ao tema da sustentabilidade, lançou uma campanha que mostra aos clientes finais seu esforço em manter a transparência de toda a cadeia de compras.

 

Sustentabilidade em compras: Tiffany e sua iniciativa “Diamond Source”

Recentemente, a Tiffany & Co., marca americana de joias de luxo, divulgou uma notícia no mercado: até 2020 ela se compromete a conhecer e divulgar toda a jornada dos diamantes comercializados em suas unidades.

Isto inclui desde a origem das minas exploradas até lapidação, polimento e finalização das joias exibidas nas lojas.

Segundo Alessandro Bogliolo, CEO da marca, “diamantes foram formados há 3 bilhões de anos e, então, trazidos para a superfície da Terra como um milagre da natureza. Eles são um símbolo do momento mais importante de nossas vidas. Por isso, não deve ter nada obscuro nos diamantes Tiffany. Nossos clientes precisam e merecem saber de onde vieram suas mais amadas e valiosas peças”.

Com esta iniciativa, todas as joias com diamantes (a partir de 0,18 quilate) virão com um número de série gravado a laser e invisível a olho nu, além de uma plaquinha mostrando o país de origem.

 

 

Sustentabilidade contra os “diamantes de sangue”

Os diamantes comercializados pela Tiffany vêm de duas fontes: 80% / 90% são provenientes de minas selecionadas em países como África do Sul, Botsuana, Canadá, Namíbia e Rússia.

Os 10% / 20% restantes são comprados já polidos de fornecedores de confiança, que, segundo o vice-presidente sênior de fornecimento de joias e diamantes da marca, fazem parte da rede de fornecedores há anos e são constantemente visitados.

Com esta nova iniciativa, a empresa se compromete a não comprar de países fornecedores que possuem queixas de direitos humanos como Angola, Congo e Zimbábue.

Os países fornecedores precisam estar sob o Processo de Kimberley, uma certificação de origem que evita a compra e venda de “diamantes de sangue”, ou seja, aqueles que são procedentes de zonas de conflito, guerras civis e abusos de direitos humanos (como escravidão e condições precárias de trabalho).

O tema delicado foi explorado no filme “Diamante de Sangue”, estrelado por Leonardo DiCaprio e Djimon Hounson.

sustentabilidade em compras diamante de sangue
Cena do filme Diamante de Sangue, 2006.

 

Gestão de fornecedores para compras sustentáveis

A missão de controlar tantas variáveis, principalmente quando elas acontecem fora de casa, não é uma tarefa fácil. Por isso, para a Tiffany e outras empresas conseguirem colocar em prática a sustentabilidade ampliada é necessário ter uma boa Gestão de Fornecedores.

Só com ela é possível centralizar todos os processos referentes aos parceiros de negócios.

Soluções tecnológicas acompanham e controlam cadastro, homologação e avaliação de fornecedores, bem como gestão de terceiros e inspeção. A tecnologia ajuda na mitigação de riscos na cadeia de suprimentos e minimiza fatores que podem impactar negativamente as empresas e a sociedade.

 

Se você tem interesse em saber mais sobre Gestão de Fornecedores, acesse nossa área de Materiais Gratuitos para ler vários assuntos relacionados ao tema.

E assine nossa newsletter para ficar por dentro de todas as notícias do mundo de compras.