Estudando o lead time em compras

Marcos Roig, gerente comercial do Mercado Eletrônico, fez um artigo que repercutiu no portal InforChannel abordando os principais pontos que devemos levar em consideração ao analisar e calcular o lead time em compras.

Saber calcular o lead time em compras é uma prática que pode trazer inúmeros benefícios, tanto para as operações da companhia, quanto para as equipes de atendimento ao cliente. Saber analisar os processos, entender os gaps e ter no controle todo o ciclo do produto até a chegada ao cliente é extremamente vantajoso, e assim, conseguimos fazer o planejamento estratégico de forma eficaz para a organização.

Entretanto, antes das empresas conseguirem calcular o lead time corretamente, é preciso ter algumas premissas em mente. Segundo Marcos Roig, “antes de mais nada é preciso elaborar uma lista com os produtos requisitados. Crie um documento com todas as matérias-primas adquiridas para fabricação de cada item a ser vendido. Essa tabela também deve conter serviços de consertos ou instalações, caso esses procedimentos sejam necessários para a finalização do produto”. Ou seja, precisamos discriminar em uma tabela todos os suprimentos e serviços necessários para que o produto final seja concluído.

“Procure conhecer o período necessário de compra de cada um dos itens listados”, Marcos Roig

Outro ponto importante para o gerente comercial do ME e que afeta diretamente o cálculo do lead time em compras é procurar conhecer o período necessário para a aquisição de cada um os itens listados sempre de maneira organizada e estratégica. Argumenta Roig, “um pedido pode demorar cerca de 5 dias ou mais para ser entregue. Calcule uma margem de segurança de alguns dias levando em conta imprevistos de transporte”. Vale se atentar ao modo de trabalho de cada fornecedor, pois alguns deles atuam apenas em dias úteis. Neste caso, não podemos colocar os finais de semana nessa previsão. Não podemos esquecer também de anotar com precisão o tempo necessário de espera até a chegada dos insumos.

Dentro desse cenário todos os registros e análises podem fazer a diferença. Procure entender o tempo que leva a mão de obra da empresa para a criação de um lote de determinado produto após o recebimento dos suprimentos essenciais para sua produção. Procure mapear os imprevistos, possíveis atrasos, manutenções e a agenda de seus funcionários, caso seja uma prestadora de serviços.

Para finalizar, Roig sinaliza para não esquecermos de somar o tempo necessário de espera dos insumos com o período exigido para a criação de um produto ou conclusão de um trabalho.

Todo esse fluxograma que passa, desde o tempo para o recebimento do pedido, até o término da criação do produto final, representa o lead time que um item demora a estar disponível para entrega ao cliente.

Para acompanhar o artigo na íntegra sobre como calcular lead time em compras feito por Marcos Roig, acesse os portais InforChannel ou E-commerce News.

Leia também sobre as principais influências do lead time em compras no artigo escrito por Alexandre Moreno, diretor de serviços do Mercado Eletrônico.